Congonhas recebe exposição sobre 60 Anos da Ponte Aérea

Mostra conta com 18 telas que retratam as vivências de passageiros por meio de fotos, curiosidades e dados da aviação civil

Em comemoração aos 60 anos da ponte aérea que liga dois dos aeroportos mais expressivos do País, a Infraero inaugurou, em parceria com a Folha de S. Paulo e Gol Linhas Aéreas, a exposição “60 Anos da Ponte Aérea”. A mostra, com 18 telas, materializa as vivências de passageiros por meio fotos, curiosidades e dados da aviação civil.

Os painéis contam a história da rota Rio-São Paulo, que se tornou a quarta mais movimentada do mundo entre voos domésticos. As imagens ficarão expostas no saguão central do aeroporto até o dia 18 de agosto. Depois, elas seguem para o Aeroporto Santos Dumont, onde ficarão até o final de outubro.

Rota movimentada

Criada pelas empresas Varig, Vasp e Cruzeiro em 1959, a ponte aérea Rio-São Paulo foi iniciada com o objetivo de oferecer os voos em forma de bilhete único, com a proposta de enfrentar a concorrência de grandes aéreas da época, como a Real. As cidades já eram ligadas pela rota desde 1936, mas as frequências dos voos eram menores. A oferta unificada ocorreu até 1998, mas a alcunha “ponte aérea” segue presente.

Administrados pela Infraero desde a década de 1980, os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont têm buscado oferecer melhorias, conforto e segurança aos seus usuários ano após ano. Dois fatores exemplificam esse compromisso da empresa: um deles é a nota dos aeroportos na pesquisa de satisfação do passageiro do Ministério da Infraestrutura – Congonhas e Santos Dumont alcançaram notas 4,33 e 4,43 na última pesquisa, ambas acima da meta de 4 pontos do Governo Federal. O outro é o crescimento na movimentação de passageiros entre terminais, que aumentou 4,51% nos primeiros semestres de 2018 e 2019. Até junho deste ano, a ponte aérea movimentou 2.174.919 de passageiros.